Noroeste discute investimentos do Territórios da Cidadania Colegiado


O  Programa de Apoio a Projetos de Infraestrutura e Serviços dos Territórios - Proinf destinará recursos para fomentar as cadeias produtivas do leite e dos orgânicos no Território da Cidadania Noroeste Fluminense. A decisão foi tomada pelo colegiado do território, que se reuniu ontem (8 de agosto), na Ceasa de Ponto de Pergunta, no município de Itaocara.

O Proinf é uma ação orçamentária de responsabilidade da SDT (Secretaria de Desenvolvimento Territorial) e do MDA, com a finalidade de apoiar projetos de infraestrutura e serviços em territórios rurais, beneficiando agricultores familiares. Para o Território Noroeste Fluminense estão disponíveis R$ 350 mil em investimentos. Os projetos serão apresentados ao Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável.

Cássio Rosa e José Otávio Fernandes, do MDA, dirigiram a reunião

Tanto a cadeia produtiva do leite quanto a produção de orgânicos são apoiadas pelo Programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura. 'O Rio Rural e a Emater-Rio são parceiros na implementação das políticas públicas do MDA. A polaridade da Emater-Rio, que está presente em cada cidade, em contato direto com o agricultor, facilita o trabalho', afirmou o delegado José Otávio.

O programa Territórios da Cidadania tem como objetivo promover o desenvolvimento econômico e universalizar programas básicos de cidadania, por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável, com foco em áreas com problemas sociais mais graves. A divisão dos territórios é baseada em diversos critérios, tendo como indicador o Índice de Desenvolvimento Humando (IDH), considerando a história, as características socioculturais e econômicas da região, bem como o interesse de seus habitantes.

O colegiado decidiu investir o Proinf 2012 na cadeia de orgânicos e do leite.

Seguindo esses critérios, o MDA identificou que a região do estado do Rio com maiores problemas na saúde, na educação e na agricultura é o Noroeste. 'Mas também é a de maior potencial na geração de trabalho e renda na agricultura familiar, porque tem perfil e vocação agrícola. Aqui temos grande número de agricultores familiares que precisam de apoio para aumentar a produtividade. O benefício é para todos, pois gera desenvolvimento no campo e na cidade', afirma José Otávio, Delegado Estadual do MDA.

A reunião do colegiado Noroeste Fluminense foi dirigida pelo Delegado Estadual do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), José Otávio Camara Fernandes, e pelo articulador estadual, Cássio Rosa. Representantes da Emater-Rio, Sebrae, Cresma (Conselho Regional de Secretários Municipais de Agricultura), cooperativas e associações de produtores rurais participaram do debate.