Câmara discute tombar patrimônio histórico-cultural


Local abandonado virou moradia de sem-teto (Foto: Arquivo/ Folha Itaocarense)
    Nos últimos dias pudemos observar discussões acaloradas sobre a necessidade de conservação dos bens culturais do país, principalmente após o episódio do incêndio no Museu Nacional. Em Itaocara, os debates ficaram acerca da pretensão do Inea em demolir a Casa do Estudante.

   No dia seguinte à publicação da matéria da Folha Itaocarense, a assessoria de imprensa do instituto negou que o Inea tenha pretensão de demolir o imóvel. Dias antes, fontes ligadas à Prefeitura Municipal de Itaocara confirmaram que o órgão havia notificado a Prefeitura para a derrubada da construção, que estaria oferecendo riscos a quem frequentasse o local. Também foi informado que uma restauração seria impossível, devido às novas leis ambientais, que proíbem qualquer construção em áreas de preservação permanente (APP).

   Diante do risco de demolição, vereadores do município se reuniram para discutir a respeito da possibilidade de tombamento da Casa do Estudante como patrimônio histórico-cultural de Itaocara, medida essa que pode ajudar na conservar da construção da década de 1970, quando era ligada à margem do Paraíba do Sul por um bondinho.

    Segundo a presidente do Legislativo, Aveline Freitas, a sugestão de tombamento foi apresentada nesta terça (11) e a previsão é de que o projeto de lei seja votado nas próximas semanas. 'Um monumento que é palco de nossas lembranças não pode ser destruído', disse a vereadora.

Fonte: Folha Itaocarense