(22) 997587542  |  contato@doisestados.com.br

A última dança: os craques que deixaram saudades nos seus clubes

admin

admin

‘The Last Dance’, série que vem fazendo sucesso no Brasil e no mundo ao trazer uma perspectiva exclusiva dos anos de Michael Jordan no Chicago Bulls – até sua despedida em 1998 -, terá seus últimos episódios neste domingo (17).
Em suas devidas proporções, o impacto de um jogador em seu clube alimenta uma história profunda e deixa saudades na torcida quando a aliança é desfeita, seja por uma transferência ou aposentadoria.
Michael Jordan Enjoyed Neymar’s Skills!
Volume 90%
Então o Onefootball foi atrás destes jogadores que seguem no imaginário da torcida no futebol, mas tiveram a oportunidade de protagonizar a última dança em seus clubes – confira abaixo.

Athletico-PR – Paulo Baier

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0007727583h-scaled.jpg&q=25&w=1080
Imago Images
Articulador, artilheiro e quase interminável. Os anos de Paulo Baier com a camisa do Furacão foram dourados e o meio-campista criou uma identificação forte com a torcida na Arena da Baixada.
Sua última dança foi em 2013, quando Baier deixou o clube – na época como o maior artilheiro da era dos pontos corridos do Brasileirão.

Atlético-GO – Márcio

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=608&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fmarciogo.jpg&q=25&w=1080
Reprodução/Twitter
Um sinônimo do Atlético-GO, o goleiro fez mais de 500 jogos pelo Dragão entre 2007 e 2016, marcando 38 gols.
Recordista histórico do clube, deixou um vazio difícil de preencher na meta, que Kozlinski vem ocupando aos poucos.

Atlético-MG – Ronaldinho

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=699&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FFBL-LIBERTADORES-ATLNACIONAL-ATLMINEIRO-1589729786-scaled.jpg&q=25&w=1080
Raul Arboleda/AFP via Getty Images
A última dança de Ronaldinho foi guardada para o Atlético-MG. No Galo, R10 ainda tinha a magia e a capacidade física para fazer a diferença – e fez.
Sua passagem vencedora o alçou ao patamar dos maiores ídolos do clube.

Bahia – Zé Rafael

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=779&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0034868835h-scaled.jpg&q=25&w=1080

Imago Images/Fotoarena

Co m mais de 100 jogo, Zé Rafael evoluiu como jogador e se identificou com o torcedor vestindo a camisa do Bahia.
No Tricolor de Aço, fez parte de um momento de evolução do clube para um novo patamar e foi o melhor jogador por duas temporadas, levantando um Estadual e a Copa do Nordeste.

Botafogo – Jefferson

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FFluminense-v-Botafogo-Brasileirao-Series-A-2017-1589729949.jpg&q=25&w=1080
Buda Mendes/Getty Images
Com 459 partidas pelo Botafogo, Jefferson se tornou o maior ídolo recente na rica história do clube.
Sua última dança foi em 2018, quando se aposentou pelo Glorioso com quatro títulos no currículo e uma idolatria marcante junto ao torcedor.

Ceará – Magno Alves

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0017464440h-scaled.jpg&q=25&w=1080
Imago Images/Fotoarena
Entre idas e vindas, Magno Alves criou no Ceará seu maior ponto de identificação no futebol.
No Vozão, o Magnata fez mais de 100 gols em mais de 200 jogos, emplacando entre os maiores artilheiros da história do clube.

Corinthians – Ronaldo

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=719&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FBrazilian-soccer-striker-Ronaldo-of-Cor-1589730124-scaled.jpg&q=25&w=1080
Mauricio Lima/AFP via Getty Images
O último suspiro de Ronaldo no futebol foi no Corinthians, clube que conseguiu transformar com o seu tamanho no futebol, mas também contribuindo dentro de campo.
Depois de passar por Barcelona, Real Madrid, Inter de Milão, Milan, R9 teve sua última dança com a camisa do Timão, se aposentando em 2011.

Coritiba – Alex

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FCoritiba-v-Bahia-Brasileirao-Series-A-2014-1589730192.jpg&q=25&w=1080
Heuler Andrey/Getty Images
Um grande craque do futebol brasileiro, Alex começou e fechou sua carreira no Coritiba.
Em 2014, sua última dança foi marcada por seu impacto na luta do clube contra o rebaixamento, salvando o Coxa aos 37 anos e se despedindo de vez.

Cruzeiro – Sorín

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=1013&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0000656077h-scaled-e1589730417684.jpg&q=25&w=1080

Imago Images/Stellan Danielsson

Campeão da Copa do Brasil pelo Cruzeiro em 2000, Sorín fez da Raposa sua casa no Brasil e como uma prova de amor retornou ao clube para se aposentar.
A última dança do lateral argentino no futebol foi em 2009 com a camisa azul-celeste.

Flamengo – Juan

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FFBL-BRAZIL-CARIOCA-FLAMENGO-VASCO-1589730487.jpg&q=25&w=1080
Mauro Pimentel/AFP via Getty Images
Zagueiro de classe sem igual, Juan foi um monstro silencioso dentro de campo.
Formado na Gávea, fez questão de retornar ao Rubro-Negro em 2016 e fez mais de 100 jogos até 2019, quando teve sua última dança com direito ao título Estadual e Brasileiro.

Fluminense – Conca

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FFluminense-v-Atletico-PR-Brasileirao-Series-A-2014-1589730544.jpg&q=25&w=1080
Carmen Flores/Getty Images
Dificilmente outro jogador deixou tanta saudades no Fluminense como Darío Conca.
O argentino fez temporadas incríveis com a camisa do Tricolor e levantou o troféu do Brasileirão de 2010. Fez sua última dança na segunda passagem pelo clube, em 2015.

Fortaleza – Ronaldo Angelim

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=579&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fangelimfortal.jpg&q=25&w=1080
Reprodução/Twitter
O Magro de Aço tem mais de 300 jogos na conta com a camisa do Fortaleza.
Depois de construir uma grande carreira pelo Flamengo, Angelim retornou ao Leão do Pici para pendurar as chuteiras – tendo sua última dança em um período turbulento da história do clube.

Goiás – Fernandão

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=683&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Ffernandg.jpg&q=25&w=1080
Reprodução/O Popular
Goiano, Fernandão surgiu no Verdão e sua carreira decolou após quase seis anos no clube.
Com mais de 100 gols pelo Goiás, Fernandão retornou ao Serra Dourada entre 2009 e 2011 para um reencontro que foi sua última dança no clube que o formou.

Grêmio – Marcelo Grohe

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0029229995h-scaled.jpg&q=25&w=1080
Imago Images/Fotoarena
Foram quase 15 anos no Grêmio, e os 400 jogos somados aos títulos conquistados jogaram Grohe ao mais alto nível entre os ídolos históricos do Imortal.
Em 2018, teve sua última dança com dois títulos importantes: o Estadual e a Recopa Sul-Americana.

Internacional – Nilmar

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0020148935h-scaled.jpg&q=25&w=1080
Imago Images/Fotoarena
Cria do Colorado e ídolo do clube, Nilmar é um dos jogadores que mais deixa saudades na torcida do Internacional.
O rápido e talentoso atacante teve três passagens pelo Colorado e fez mais de 60 gols no Beira-Rio, sua última dança foi em 2015.

Palmeiras – Zé Roberto

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=671&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FPalmeiras-v-Santos-Copa-do-Brasil-2015-Final-1589731184.jpg&q=25&w=1080
Friedemann Vogel/Getty Images
Com uma carreira vasta e todo o respeito no futebol mundial, o destino colocou a camisa do Palmeiras como a última da carreira de Zé Roberto.
Não poderia ser diferente, mesmo em sua última dança, Zé foi campeão da Copa do Brasil e do Brasileirão em seu último clube.

Red Bull Bragantino – Luxemburgo

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0046425721h-scaled.jpg&q=25&w=1080
Imago Images/Fotoarena
Um casamento improvável, Vanderlei Luxemburgo surgiu para o cenário do futebol ao ser campeão do Paulista de 1990 pelo Bragantino.
Em um novo momento, o clube tem o treinador como um de seus ídolos e, quem sabe, uma última dança não aconteça no futuro.

Santos – Neymar

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=791&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FBrazils-Santos-striker-Neymar-R-celeb-1589731379.jpg&q=25&w=1080
Kazuhiro Nogi/AFP via Getty Images
Está marcado, a última dança de Neymar precisa ser no Santos, clube em que viveu desde criança e conquistou títulos de primeira importância.
Apesar de ter pendências no grande cenário do futebol, o atacante deve em algum momento retornar para a Vila Belmiro. A primeira despedida, porém, foi em 2013.

São Paulo – Rogério Ceni

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=677&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FSao-Paulo-v-Flamengo-Brasileirao-Series-A-2014-1589731497.jpg&q=25&w=1080
Friedemann Vogel/Getty Images
Ídolo máximo do clube, Rogério Ceni cumpriu seu papel dentro de campo e teve sua última dança em 2015, mais de 1200 jogos e 132 gols depois de estrear.
Em uma nova função, porém, pode retornar ao clube de coração em algum momento da carreira para continuar escrevendo sua história no Morumbi.

Sport – Magrão

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=721&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2FSport-Recife-v-Cruzeiro-Brasileirao-Series-A-2014-1589731545.jpg&q=25&w=1080
Buda Mendes/Getty Images
Com mais de 700 jogos e oito títulos Estaduais pelo Sport, Magrão teve sua última dança pelo Leão em 2019.
Recordista, ídolo e um grande pegador de pênaltis, estará no imaginário da torcida na Ilha do Retiro por muito tempo.

Vasco – Juninho Pernambucano

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/resize?fit=max&h=720&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2020%2F05%2Fimago0011437137h.jpg&q=25&w=1080
Buda Mendes/Getty Images
Mais um craque que fez o caminho de ida e volta para se despedir propriamente de um clube e uma torcida que o idolatra, Juninho Pernambucano se despediu do futebol pelo Vasco.
Com seis grandes títulos pelo Cruz-Maltino, o meio-campista fez sua última dança em 2013 em São Januário.

Foto de destaque: Reprodução/Twitter