Mulheres que realizaram mastectomia terão direito à fisioterapia em hospitais públicos

As mulheres que realizaram mastectomia, cirurgia para retirada das mamas, terão direito à realização de fisioterapia de reabilitação nas unidades públicas de saúde do Estado do Rio. É o que determina o projeto de lei 4.009/21, de autoria da deputada Tia Ju (REP), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta quinta-feira (12/08), em primeira discussão. O texto ainda precisa ser votado novamente pela Casa.
A medida vale para todas as pessoas que realizaram mastectomias também em unidades públicas. A fisioterapia de reabilitação será realizada de acordo com o quadro clínico de cada paciente, cabendo aos profissionais de saúde definir que técnica de intervenção terapêutica será aplicada, bem como o número de sessões a serem ministradas.
O Poder Executivo regulamentará a norma e poderá celebrar parcerias e/ou convênios com os municípios objetivando ampliar a rede de atendimento fisioterápico para as mulheres mastectomizadas. “Tão importante quanto a cirurgia, a intervenção fisioterapêutica na pós-mastectomia é essencial para a prevenção e redução de sequelas que podem ser decorrentes do processo cirúrgico, devendo ser ministrada o mais precocemente possível. Entre as complicações mais comuns enfrentadas pelas pacientes após a mastectomia está o desenvolvimento de linfedema (acúmulo de líquido linfático no tecido adiposo) de membro superior, perda de mobilidade no ombro e limitação no uso funcional de braço e mão, que podem durar vários meses após a cirurgia”, explicou Tia Ju.
Foto: Julia Passos | Texto: Gustavo Natario e Juliana Mentzingen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.