A região Noroeste permanece em bandeira vermelha, com alto risco. Miracema, Pádua, Laje do Muriaé, estão entre os municípios.

A 67ª edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (04.02) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra que o Estado do Rio de Janeiro permanece em bandeira laranja, de risco moderado para Covid-19. A análise faz a comparação da quarta semana epidemiológica (SE) deste ano, a SE 04 (de 23 a 29 de janeiro), com a segunda, a SE 02 (de 09 a 15 de janeiro). O mapa desta semana apresenta uma melhora nas regiões Metropolitana II e Baixada Litorânea, que passaram da bandeira laranja, de risco moderado, para a bandeira amarela, de baixo risco. A Região da Baía da Ilha Grande passou da bandeira vermelha, com risco alto, também para a bandeira amarela.
As regiões Metropolitana I, Médio Paraíba, Centro Sul e Norte permanecem em risco moderado, com bandeira laranja. A região Noroeste permanece em bandeira vermelha, com alto risco, e a região Serrana saiu do risco moderado, bandeira laranja, para o alto risco, bandeira vermelha.
No período analisado, as internações reduziram de 294, na SE 02, para 268, na SE 04. Os óbitos passaram de 106, na SE 02, para 204, na SE 04. Os indicadores apontaram que, no período de 25 de janeiro a 1º de fevereiro, a taxa de positividade para SARS-CoV-2 em testes RT-PCR foi de 64%. Nesta quarta-feira (02.02), a taxa de ocupação de leitos para Covid-19 estava em 64% para UTI e 46% para enfermaria.
– A Ômicron já atingiu o pico e agora estamos começando a observar uma redução nos indicadores. Algumas regiões, como a Metropolitana II, a Baixada Litorânea e a Baía da Ilha Grande, já estão refletindo essa melhora e entrando em baixo risco de transmissão da Covid-19. Outro ponto importante é a taxa de positividade para a doença nos Centros de Testagem do estado, que saiu de mais de 40% para 12% – esclareceu o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.
Levantamento da Secretaria de Estado de Saúde apontou que a média móvel nos atendimentos a casos de síndromes gripais, que inclui a Covid-19, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) do estado tiveram queda de cerca de 60% na última semana. A análise mostra que, entre os dias 20 e 26 de janeiro, a média móvel foi de 2509 atendimentos diários. Já entre os dias 26 de janeiro a 2 de fevereiro, a média móvel ficou em 988 atendimentos diários.
Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.